A Demissão da Formiga!

''Quando o trabalho é um prazer a vida é uma alegria. Quando o trabalho é um dever a vida é uma escravidão.'' (Gilclér Regina)

 ----------------------------------------------------------------------------------

Todos os dias, uma formiga chegava cedinho ao escritório e pegava duro no trabalho. A formiga era produtiva e feliz.
O gerente marimbondo estranhou a formiga trabalhar sem supervisão. Se ela era produtiva sem supervisão, seria ainda mais se fosse supervisionada. E colocou uma barata, que preparava belíssimos relatórios e tinha muita experiência, como supervisora.
A primeira preocupação da barata foi a de padronizar o horário de entrada e saída da formiga.
Logo, a barata precisou de uma secretária para ajudar a preparar os relatórios e contratou também uma aranha para organizar os arquivos e controlar as ligações telefônicas.
O marimbondo ficou encantado com os relatórios da barata e pediu também gráficos com indicadores e análise das tendências que eram mostradas em reuniões.
A barata, então, contratou uma mosca, e comprou um computador com impressora colorida.
Logo, a formiga produtiva e feliz, começou a se lamentar de toda aquela movimentação de papéis e reuniões!
O marimbondo concluiu que era o momento de criar a função de gestor para a área onde a formiga produtiva e feliz, trabalhava. O cargo foi dado a uma cigarra, que mandou colocar carpete no seu escritório e comprar uma cadeira especial…
A nova gestora cigarra logo precisou de um computador e de uma assistente a pulga (sua assistente na empresa anterior) para ajudá-la a preparar um plano estratégico de melhorias e um controle do orçamento para a área onde trabalhava a formiga, que já não cantarolava mais e cada dia se tornava mais chateada.
A cigarra, então, convenceu o gerente marimbondo, que era preciso fazer uma pesquisa de clima. Mas, o marimbondo, ao rever as finanças, se deu conta de que a unidade na qual a formiga trabalhava já não rendia como antes e contratou a coruja, uma prestigiada consultora, muito famosa, para que fizesse um diagnóstico da situação.
A coruja permaneceu três meses nos escritórios e emitiu um volumoso relatório, com vários volumes que concluía: Há muita gente nesta empresa!
E adivinha quem o marimbondo mandou demitir? A formiga, claro, porque ela andava muito desmotivada e aborrecida.
Infelizmente neste vasto mercado de trabalho, sabemos que muitos profissionais passam por esse tipo de situação.
São excelentes profissionais, com todo o gás e motivação possíveis, mas, com o passar do tempo, sua liderança não as enxergam e nem reconhecem sua postura profissional, tampouco seus resultados e seu profissionalismo.
Enfim, chegam à conclusão que não são valorizados como pretendiam e merecem. Então inicia-se um processo de descontentamento em relação à sua gestão e com o passar do tempo, obviamente que não há motivação que resista e a desmotivação acaba por tomar conta do profissional.
Aí chegam ao ponto de decidirem mudar de empresa, na verdade esses profissionais se assemelham à formiga. Se dependesse dele demitiria seu gestor e não a empresa, pois na grande maioria das vezes, se tivesse a oportunidade de continuar na empresa, gostaria apenas disso para continuar motivados no trabalho.
Sendo assim, pergunta-se: Este problema é só do profissional ou também de sua liderança? E você? Conhece alguém assim na vida real?
Para finalizar, continuo com o pensamento de sempre: Quando o trabalho é um prazer a vida é uma alegria. Quando o trabalho é um dever a vida é uma escravidão. A cigarra pode até cantar, mas só vai vencer se conseguir se tornar uma cigarra sertaneja de sucesso. O negócio é trabalhar com a inspiração de uma formiga “motivada”.
Pense nisso! Vamos em frente e ao trabalho, com alegria e muita motivação. O Brasil precisa disto, ordem, progresso e trabalho. Um forte abraço e esteja com Deus!

(adaptação de um autor desconhecido).